Hérnia discal

A hérnia discal, as protrusões, procidências, discopatias, abaulamentos discais difusos, debruns discais e disco-osteofitarios são tudo alterações dos discos intervertebrais que podem irritar as raizes nervosas com origem ou que saem / entram na coluna vertebral podendo associar-se a dor (ciática ou axial), parestesisas (formigueiros, dormência) ou mais raramente a outros sintomas, como falta de força.

Na maioria dos casos o tratamento é conservador (fisioterapia ou anti-inflamatorios). Quando o tratamento conservador falha, o próximo passo são as técnicas minimamente invasivas, guiadas por imagem a que a nossa equipa se dedica.

Existem diversas alternativas terapêuticas entre as quais a nucleotomia, nucleoplastia / descompressão por plasma light / fibra optica, radiofrequência, co-ablação ou ozonoterapia. A melhor opção é avaliada em consulta previa à intervenção.

a) Ozonoterapia
De que forma actua o ozono?
Com a injeção do ozono no núcleo polposo do disco intervertebral este reage quimicamente com a cartilagem desencadeando uma serie de alterações histológicas com consequente redução da pressão do disco intervertebral que perde um pouco de volume aliviando assim a pressão sobre os nervos. Estas alterações permitem também que o nosso sistema imunitário/inflamatório deixe de atacar tanto a cartilagem reduzindo assim a reacção inflamatória crónica a longo prazo.
Tem também um efeito anti-inflamatório direto, sem os efeitos secundários dos corticóides.
Melhora finalmente a oxigenação dos tecidos em redor da hérnia discal.

Taxa de sucesso
Há uma resolução total ou quase total do quadro clinico em 70 a 80% dos casos com uma única intervenção. Numa pequena percentagem de casos é necessário repetição do procedimento. O alivio dos sintomas pode ser imediato mas, nalguns casos, pode também demorar até cerca de 3 meses para se atingir o máximo do efeito desejado.

Segurança
De entre as alternativas terapêuticas disponíveis para o tratamento da patologia degenerativa da coluna, é provavelmente dos procedimentos mais seguros (nomeadamente mais seguro do que alguns medicamentos, pois não tem os riscos sistémicos destes).

b) Nucleoplastia Percutanea por Fibra Optica / Plasma Light ou Laser Eutérmico
PDCT (Percutaneous Disc Coagulation Therapy)

Tratam-se de duas técnicas semelhantes. Consistem na introdução de fina fibra optica no interior do disco intervertebral que contem a hernia discal da coluna vertebral cervical dorsal ou lombar guiado por imagem (RX/ fluoroscopia ou TAC). Posteriormente faz-se passar energia (fonte de LASER de baixa temperatura) através dessa fibra óptica que interagir com núcleo pulposo do disco levando à redução da pressão intra discal com consequente alivio da pressão sobre a raiz nervosa afectada. Há igualmente modificação das proteínas que servem como receptores antigenicos com consequente redução do ataque que o nosso sistema imunitatio exerce sobre a hernia. Permite ainda a recuperação do anulus fibroso. A recuperação é imediata, isto é, o doente pode retomar a vida normal, nomeadamente o trabalho passadas 24h, embora o alivio completo da dor possa demorar em média 3 meses que é o tempo necessario para o nervo se restabelecer do sofrimento e danos que teve antes da intervenção, isto é, durante o tempo que o doente andou em sofrimento antes de ser tratado.

c) Nucleoplastia por Radiofrequência ou Coablação
Tem efeito semelhante ao da fibra óptica / plasma light mas a energia é depositada no disco com eléctrodos de radiofrequência ou coablação em vez da fibra óptica.

d) Nucleotomia ou discectomia percutânea
Trata-se dum procedimento em que se remove parte da hernia discal (do disco intervertebral herniado que está a irritar as raizes que são origem do nervo ciatico através dum fino tubo, sem cortes, sem remover osso nem músculo, apenas com anestesia local ou eventualmente con sedção se o doente o desejar. Há assim redução do volume da hernia discal e consequente da pressão que esta exercia sobre a raiz nervosa

ESTENOSE DO CANAL VERTEBRAL

O canal vertebral onde passam as raizes nervosas pode estar apertado devido à presença de hipertrofia artrosica das facetas articulares, hipertrofia dos ligamentos amarelos e patologia discal como hernia discal ou abaulamentos discais difusos.

O tratamento pode ser conservador e muitas vezes é necessária a cirurgia. Em alguns casos pode ser colocado um ESPAÇADOR INTER-ESPINHOSO que permite alargar o canal e permitir alivio das raizes nervosas podendo resolver a claudicação neurogenica, isto é, os sintomas associados ao aperto do canal. Os espaçadores podem ser colocados por via cirurgica aberta mas recentemente surgiu um dispositivo que pode ser colocado por via percutânea, isto é, sem necessidade de cirurgia, apenas guiado por RX.

Síndrome facetário (artroses da coluna) e disfunção sacro-iliaca ou sacro-ileite

Estes síndromes, responsáveis pelas dores de costas (lombalgia axial) numa percentagem considerável da população podem ser tratada de forma eficaz e segura por radiofrequência, passando uma pequena corrente elétrica pelos pequenos ramos médios que inervam as articulações posteriores da coluna.

Tratamento de dor no cocix

A coccidinia, ou dor da região do coccix, poderá ser tratada por bloqueio do ganglio impar. Este gânglio é um conjunto de células nervosas localizadas em frente ao cóccix cuja hiper-actividade pode resultar em dor crónica nesta localização. Estas células podem ser “adormecidas” com uma simples injecção guiada por imagem ou por radiofrequencia.

Tratamento de Quistos de Tarlov sintomáticos

Considerados assintomaticos no passado, está actualmente provado que podem ser a origem de dores lombares e pelvicas; podem ser facilmente aspirados e “selados” guiados por TAC com finas agulhas.

FRACTURAS VERTEBRAIS E ALTERAÇÕES INFLAMATORIAS DAS PLATAFORMAS VERTEBRAIS DO TIPO MODIC 1

Introduz-se cimento nos corpos cerebrais fraturados (vertebroplastia / cifoplastia) sem necessidade de anestesia geral.
No caso das fracturas vertebrais o cimento vai estabilizar a fractura e tratar a dor.
No caso das alterações do tipo Modic 1, que consistem na inflamação do osso adjacente aos discos, a injecção de cimento reabsorvivel permite controlar de forma eficaz esta inflamação.